ONU traz resoluções de urbanização sustentável

Nairóbi – A primeira Assembleia Global do Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos, o ONU-Habitat, que ocorreu de 27 a 31 de maio em Nairóbi, no Quênia, concluiu com uma declaração ministral que reconhece os desafios e as oportunidades da urbanização global. O documento foi assinado pelas delegações de 127 países, quatro chefes de Estado e de governo e 49 ministros, presentes no evento.

A reunião confirmou que a segunda sessão da Assembleia do ONU-Habitat, que será realizada a cada quatro anos, ocorrerá de 5 a 9 de junho de 2023. O local será divulgado em breve.

Ao fim da Assembleia, os delegados adotaram cinco resoluções cobrindo uma série de tópicos, incluindo: cidades mais seguras; capacitação para implementação da Nova Agenda Urbana; alcance da igualdade de gênero por meio do trabalho do ONU-Habitat para apoiar cidades e assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis; aprimoramento de ligações urbanas rurais para a urbanização sustentável, e o Plano Estratégico do ONU-Habitat 2020-2023.

Segundo a declaração, os ministros “reconhecem e apoiam totalmente o papel e a perícia do ONU-Habitat como ponto focal de urbanização sustentável e assentamentos humanos e como um centro de excelência e inovação”. O documento reconhece ainda que o aumento da urbanização constitui um desafio e uma oportunidade para promover o desenvolvimento sustentável. Isso exige a promoção de padrões sustentáveis de consumo e produção em vários métodos, como tecnologias inteligentes, estilos de vida sustentáveis e eficiência de recursos, para alcançar os moldes do Plano Estratégico.

Na sessão de encerramento, a diretora-executiva do ONU-Habitat, Maimunah Mohd Sharif, afirmou que todos os delegados compartilham o objetivo comum de melhorar as cidades e comunidades. “As questões que simbolizam a nossa luta comum e que nos unem, seja a pobreza extrema, as desigualdades, as favelas, a exclusão social e a marginalização, a discriminação baseada no gênero, as crises humanitárias, os conflitos, as mudanças climáticas ou o desemprego elevado merecem mais atenção do que nossas diferenças”, disse ela.

Inovação

O tema geral da Assembleia, Inovação para uma melhor qualidade de vida nas cidades e comunidades, foi refletido nas atividades ao longo da semana, por meio do Diálogo Estratégico de Alto Nível e também pelos 90 expositores de soluções globais para desafios urbanos. Entre as inovações, foi apresentado um jogo de computador Minecraft para cidades reciclarem resíduos de alimentos e transformá-los em combustível, além de usar dados espaciais para responder com eficácia a incidentes urbanos.

Além disso, durante a Conferência de Compromisso e Promessas, o destino de 21 milhões de dólares foi aprovado para promover cidades sustentáveis em 21 países como China, Colômbia, República Democrática do Congo, França, Gâmbia, Alemanha, Gana, Índia, Japão, Quênia, Madagascar, Malawi, Marrocos, Nigéria, Noruega, Polônia, África do Sul, Sudão do Sul, Suécia, Suíça e Zâmbia.

O Escritório das Nações Unidas em Nairóbi realizou 57 eventos paralelos à Assembleia e quase 30 eventos no centro da cidade, abertos ao público. Houve também diferentes atividades em alguns assentamentos informais na capital queniana, onde cerca de 70% da população da cidade reside, no desejo de alcançar os bairros menos favorecidos.

Fonte: ONU – El País
Foto: ONU-Habitat

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

All search results