Emprego formal e capacitações: construção civil avança em resultados

Emprego formal

Joinville – A construção civil deve gerar milhares de novas oportunidades de trabalho em 2021. A expectativa dos especialistas está amparada no desempenho do setor no último ano. De acordo com o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), de janeiro a dezembro do ano passado o saldo de novas vagas no setor foi de 112.174, considerando-se apenas o emprego formal.

A Pnad (Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios) Contínua, divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e que contempla trabalhadores com carteira assinada, informais e autônomos, também registrou alta. Desta vez, de 10,7% na atividade da construção civil.

Salto maior foi verificado no levantamento do BNE (Banco Nacional de Empregos), que apontou crescimento de 37% nas vagas da construção civil em 2020 na comparação com 2019.

Para ajudar na formação de estudantes e profissionais de olho neste mercado aquecido, a Escola Técnica Tupy está com vagas abertas para o curso técnico em edificações. As matrículas podem ser feitas no site da ETT (http://ett.com.br/) até o dia 1º de março – data de início das aulas. O curso tem duração de 18 meses, no período noturno.

Emprego formal e suas áreas

Os estudantes formados na ETT podem trabalhar em qualquer área da construção civil: projetos, planejamento, desenvolvimento, ensaios, consultorias, venda e execução de obras, nos segmentos de habitação, estradas e rodovias, saneamento e materiais, em empresas públicas ou privadas.

Segundo o Conselho Federal dos Técnicos Industriais, a formação também habilita o profissional a abrir seu próprio negócio, respondendo tecnicamente pelo projeto, execução ou reforma de obras de até 80 metros quadrados.

A professora Dilarimar Maria Costa diz que o incentivo ao protagonismo é um dos pontos altos do curso da Escola Técnica Tupy, criado em 1998.

“Já formamos profissionais que hoje coordenam equipes, gerenciam obras e atuam na iniciativa pública e privada. Nos processos seletivos, nossos estudantes se destacam por suas capacidades técnicas e cognitivas. Uma formação como essa abre horizontes para quem busca uma profissão com embasamento sólido.”

Para ela, o crescimento do Brasil depende de obras de infraestrutura que, por consequência, precisam de profissionais capacitados no emprego formal. “A indústria da construção civil é muito versátil, com grandes oportunidades de empregabilidade em diferentes áreas. É um orgulho contribuir para o desenvolvimento da carreira de jovens e adultos. Saber que a educação proporciona o crescimento pessoal e profissional de tanta gente só engrandece minha função de educadora.”

Trajetória de sucesso

Formada em 2000, na primeira turma do curso de edificações da Escola Técnica Tupy, Edicléia Oliveira, 38 anos, é a prova de que a educação técnica é um diferencial. Engenheira de produção com MBA em Marketing, ela é Business Partner de Marketing e Produtos na Tigre USA.

Para clarear as dúvidas sobre o futuro e a carreira, Edicléia decidiu, à época, fazer o curso técnico junto com o ensino médio.

“Isso me ajudou a entender melhor a área e foi fundamental para abrir as portas na empresa onde estou hoje. Comecei na assistência técnica, atendendo reclamações, dúvidas e sugestões relacionadas aos produtos e soluções hidráulicas para construção”, lembra.

Depois de passar por outros departamentos, a ex-aluna da ETT teve a oportunidade de morar e trabalhar fora do Brasil por mais de três anos. “O curso técnico foi muito importante para mim. Sem dúvida, é fundamental para quem deseja entrar mais qualificado no mercado de trabalho ou tem dúvidas sobre qual direção seguir na carreira”, revela.

Edicléia Oliveira iniciou seus estudos técnicos na ETT e hoje é Business Partner de Marketing e Produtos

No caso do curso técnico em edificações, Edicléia considera uma excelente opção, já que a construção civil deve seguir aquecida. “Com a pandemia, as pessoas ficaram mais tempo em casa e as demandas por ampliação, construção e reformas aumentaram. O mercado está exigindo profissionais qualificados. Além de projetos e obras, há oportunidades nas áreas de serviços, tecnologia e empresas fabricantes de materiais”, comenta.

Fonte: Sinduscon Joinville
Fotos: Sinduscon Joinville

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

All search results