“PIB da construção civil cresce, mas é preciso atenção com o futuro”, avalia CBIC

PIB da construção civil

São Paulo – Após registrar em 2021 o melhor desempenho desde 2010, com crescimento de 9,7%, o PIB da construção civil também iniciou 2022 com resultado positivo em suas atividades. O setor cresceu 0,8% no 1º trimestre de 2022, em relação aos últimos três meses de 2021. Os dados do Produto Interno Bruto (PIB) foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no dia 02/06.

Desde o 3º trimestre de 2020 o setor vem apresentando números positivos, indicando que, mesmo diante do aumento excessivo no custo dos seus insumos, conseguiu avançar e demonstrar força na geração de emprego e renda.

Na avaliação do presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins, apesar de positivos, os resultados do PIB demonstram o desempenho passado – vendas de ontem. “Revelam uma fotografia do ‘retrovisor’”, frisou.

“É necessário analisar as perspectivas para o futuro. Nesse contexto, é preciso cautela”, complementou a economista da CBIC, Ieda Vasconcelos.

PIB da construção civil confirma melhor ritmo já demonstrado por outros indicadores

Segundo dados do Novo Caged, do Ministério do Trabalho, desde junho/2020 a Construção vem registrando resultados positivos na geração de novas vagas com carteira assinada, com exceção dos meses de dezembro, que são considerados sazonais.

Nos três primeiros meses de 2022 a construção civil já contabilizou um saldo positivo superior a 100 mil novos postos de trabalho formais, confirmando a sua força propulsora de geração de emprego.

Os segmentos com o maior número de novas vagas geradas pelo setor no período de junho/2020 a março/2022 foram os de Construção de Edifícios (193.440), Serviços Especializados para a Construção (181.383) e Obras de Infraestrutura (108.228).

Além disso, os números evidenciam um reflexo positivo de um cenário de vendas e lançamentos imobiliários mais aquecidos, especialmente após o início da pandemia.

Expectativa de resultados positivos

Para a economista Ieda Vasconcelos, a redução da alíquota de importação do aço e o aumento dos subsídios do Programa Casa Verde e Amarela são alguns dos fatores que mantêm a expectativa de resultados positivos para a construção.

“Entretanto, a preocupação com o persistente aumento nos custos, a queda na renda real das famílias e o aumento dos juros contribuem para manter a cautela com os próximos meses”, diz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

All search results